sexta-feira, 27 de junho de 2008

Phantom of the opera

Olha nos meus olhos,
esquece o que passou.
Aqui, neste momento:
silêncio e sentimento.

Sou o teu poeta,
eu sou o teu cantor
Teu rei e teu escravo
teu rio e tua estrada.

Vem comigo, meu amado amigo
nessa noite clara de verão

seja sempre meu melhor presente,
seja tudo sempre como és,
é tudo que se quer.

Leve como o vento,
quente como o sol
em paz, na claridade
sem medo e sem saudade.
Livre como o sonho,
alegre como a luz,
desejo e fantasia
em plena harmonia.
Eu sou teu homem,
sou teu pai, teu filho.
Sou aquele que te tem amor,
sou teu padre, teu melhor amigo,
vou contigo seja aonde for
e onde estiver, estou.

Um comentário:

Portal Poesia disse...

Seu jeito é dos mais inusitados que conheço..bom..entrelinhas.puro..