sábado, 7 de fevereiro de 2009

Entre os estilhaços das taças quebradas


Três meses sem se ver depois de seis anos juntos. Porta entreaberta. Espera nervosa e olhos que não se descolam da entrada. Sala escura, cortinas fechadas. Olhos encharcados de álcool e incomodados com a luz. Champagne. Poesia, Chico Buarque no rádio. Pensamentos indecentes, obscenos. Raiva e amor, rancor e desejo.

Três meses sem se ver depois de seis anos juntos. Caminhar medroso, tenso. Ansiedade e mãos geladas. Ruas movimentadas, tempo fechado. Olhos azuis com prenúncios de lágrimas, vontade de voltar atrás. Cigarro. Música no bar da esquina. Pensamentos indecentes, obscenos. Raiva e amor, rancor e desejo.

Enfim chega.

Encontra a porta entreaberta. Empurra-a e fica um tempo parada, encarando-o. Dá pra ver que está uma merda por dentro, mas faz questão de fingir uma solidez que uma mulher forte teria. Mas ela não é boa em fingimentos, por isso está com uma cara que crê esboçar tudo o que sente.
Ele se levanta e de repente todos os pensamentos indecentes e obscenos que pairavam em sua cabeça somem e ele emudece. É covardia. Ela está cada vez mais bonita, só porque não é mais sua, e isso é difícil de agüentar. Linda e livre.

Silêncio. Agora Vinícius do rádio. “E por falar em saudade... onde anda você?”
Tudo some e ele vai até ela. Ela ainda receia, mas logo se entrega ao seu abraço. Beijos e abraços desesperados, com força. Taças de champagne. Risos. Se amam.

Realidade volta à tona. Agora se olham, se odeiam, se machucam com a mesma força que se amaram há alguns minutos. Gritos. Mágoa e rancor. Taças quebradas. Cortes e sangue.

Ela vai embora batendo a porta. Ele chora deitado no chão entre os estilhaços das taças quebradas.

E estão prontos para uma próxima vez.

Larissa Fontes

Baseado na música 'Blue Eyes' de Júnior Almeida. Não sei o que me dá quando a escuto.

6 comentários:

Vitor Andrade disse...

e voce no meu!
E eu nem queria estar errando assim... dói um pouco...
me add: vitorandrade.90hot...

°•. Jéssica .•° disse...

"Ela está cada vez mais bonita, só porque não é mais sua, e isso é difícil de agüentar. Linda e livre."

BRILHANTEEE!!!

Amei isso - O todo!

asdeouro disse...

e o que restaria do amor...
se não fossem os gritos, as mágoas, o rancor...
a saudade.

(respondendo sua pergunta:sim, existe paz.)
:*

Salve Jorge disse...

Três meses sem se ver
Depois de seis anos juntos
Quais seriam os assuntos?
Sobre o que iriam ter?
Ao que parece
Prefeririam parecer
Que padecer
Da mesma prece
Afinal já não é o mesmo que apatece
E enquanto a trama se tece
Vê-se o drama
Assim como a brasa
De uma velha chama
Algo que não mais derrama
Na realidade rasa
Se antes parecia uma casa
Agora não tem mais essa fama
Só um afã
Uma cama
Um imã
Que tanto atrai, quanto repele...

Sara Albuquerque disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sara Albuquerque disse...

Entre os estilhaços das taças quebradas, duas pessoas encontram-se prontas para a próxima vez. É estranho e ao mesmo tempo envolvente como esse amor, essa espera, essa dúvida, esse medo nos faz sentir que somos tão frágeis, quando um ao lado do outro. Fracos a ponto de se entregar aos seis meses juntos. FRacos a ponto de sentir raiva dos 3 meses separados. Quem tem a chave de um questionamento depois do amor a deve ter escondido no mundo invisível.