quarta-feira, 5 de maio de 2010

Mas eu penso tanto...

É que eu não sei escrever. Mas eu penso tanto. Depois tudo quase sempre se desmancha no ar, em meio a tantos pensamentos. Fantasio, invento histórias de amor sobre pessoas que vejo. Assim: de repente, o cantor daquela banda é apaixonado pela cantora. Cantam juntos, mas ninguém sabe que ele todo dia declara seu amor pra ela. E existe todo aquele peso de amor mal resolvido no ar. Isso no meio de uma festa, no meio de tanta coisa mais pra se pensar. Quase sinto tudo que Gil sentiu quando escreveu Drão pra mulher, quando se separaram. Deve ter sido lindo. Lindo e triste. Aquela velha história de que, o amor só é bom se doer. Quem anda por aqui sabe o quanto eu sou Vinícius nesse negócio. Queria saber colocar em palavras a definição desse peso-de-amor-mal-resolvido-no-ar. "É como um grão, tem que morrer pra germinar". É que eu não sei escrever. Mas eu penso tanto...
Só um desabafo, sobre o vazio que se instalou na minha "inspiração".
Para aqueles que cobram a minha volta, essa é uma boa e real explicação para o meu sumiço aqui.

7 comentários:

Guilherme Ramos disse...

Desculpa? Ah, tá certo! Conta outra, moça, que vc PRECISA escrever. Qualquer coisa. Porque GOSTA. Porque é boa nisso. Mesmo sem inspiração. E uma das "técnicas" para quem está sem inspiração é exatamente essa: escrever, escrever e escrever. Assim, sai alguma coisa (que me perdoe, Clarice). E essas coisas "coisam" a gente que escreve. E a gente que lê. E o que diria Vinicius? Qualquer coisa de amor (e de dor). Mal resolvidamente ou não, seria rimado, mimado, tocado e adaptado. Da dor. Do amor. Enfim... Tudo tem seu fim. E recomeço. Como na escrita. Como da Vida. E a vida - clichê ou não - já dizia outro poeta: "é bonita, é bonita e é bonita..."
Viva.
Escreva.
E (re)escreva, se for necessário.

Bjo!
(e bem-vinda)

Gui!
(Se puder, vá no prosopoética. Continuo insistindo e escrevendo. Mesmo sem inspiração vez em quando... Rsss...)

Guilherme Ramos disse...

Ôpa! Tô nessa! Manda a FOTO que eu mando a poesia.

Vou procurar uma foto minha...

E sobre 'desistir':

EU SOU BRASILEIRO, RAPÁ! Rssss...

Bjo Bjo Bjo

(Bom te ver lá no 'shoppis'...)

Reconvexando disse...

Ela não sabe? Ela é a escrita mais linda, o verso mais rico, a rima perfeita!

Vitor Andrade disse...

É que eu não sei escrever, mas eu sou seu fã!

Ariane disse...

"Queria saber colocar em palavras a definição desse peso-de-amor-mal-resolvido-no-ar"

Querida,como eu queria saber isso também. E eu entendo esse desabafo.E acho que,você pensa tanto e tanto que suas palavras quando são soltas aqui são lindas e assim deve continuar. :')

Queria ser como Jorge Luís Borges disse...

Oi Larissa, sou fotógrafo amador aqui no sul e olhando o site de um clube de Porto Alegre verifiquei que utilizaram uma foto tua em um site, sob Creative Commons, mas quando cliquei na foto o Flickr abre ela como "Todos os Direitos Reservados". Como faço parte de um clube de fotografia aqui, sempre avisamos uns aos outros quando verificamos que uma foto pode ter sido utilizada indevidamente e, quando vi a discrepância entre o que o clube postou na página e o que consta no Flickr, resolvi avisar. O site é http://www.gnu.com.br/noticias_det.php?id=267 (não é vírus não, podes abrir)

Eu, Thiago Assis disse...

que linda metalinguagem encontrei nesse teu post *_* adoro isso