segunda-feira, 13 de abril de 2009

Corpo-de-menina-que-só-sabe-fazer-rima-boba


Foi há um tempo atrás. Se pegou pensando em frases soltas, que no final rimaram. 'Aquele corpo de menina que só sabe fazer rimas bobas'. Colocava tudo num papel sem nem pensar em nada. Dobrava, abria, relia, como se fosse uma carta mandada pra ela de muito, muito longe. De muita, muita saudade. Ouvia falar em saudade e queria aquilo. Querer saudade? Sim! Queria tudo o quanto podia. Continuava com as frases, aquelas rimadas. O que podia fazer com aquilo? Sentir era a melhor saída. E sentia cada vez mais forte, cada vez maior, cada vez mais se sentia dentro daquele corpo-de-menina-que-só-sabe-fazer-rimas-bobas. Vivia mais. Mais viva. Mais ela. Dando vida também. Seu amor nascia, tomava forma, vivia. Imaginava o tempo em que seria uma mulher, senhora de si e de seus sentimentos. Mulher-senhora-de-si-e-de-seus-sentimentos. Mas isso (se existisse, ser senhora de qualquer sentimento que fosse), seria num tempo mais pra frente. Por enquanto, continuava com suas rimas bobas. Orgulhosa delas.

Ao som de 'Canção pra você viver mais', do Pato Fu.

14 comentários:

renata. disse...

preencha isso aqui com suas palavras que tá lindo demais!

gabriel disse...

Pôr em palavras o seu imaginário mundo do mundo das canções, faz por sempre me fisgar e disparar viagem pelo mundo de mente minha, com a sonoridade sensível que esses escritos carregam.

Quatro beijos meus!

Helena C de Araujo disse...

Fiquei procurando as "rimas bobas". Não encontrei nenhuma!
Maravilhoso o que li aqui!
Um beijo!

Raquel Oliveira disse...

Lá vai em flutuar novamente..rs
O que mais me chamou atenção hoje foi a ligação de tudo isso aqui.
Dois amigos Helena Araujo e Fabio Machado já nos comentários e como seguidores..rs ADOREI!!
E vamos aumentar a corrente do blog.

Vou publicar depois o que escrevi através dos seus escritos. Espero que goste.

bjos

Autor disse...

São essas frases soltas que libertam os sentimentos presos, são essas rimas bobas que nos despem das lobas invisíveis.
E quanto mais a menina escreve, mais deixa de sê-la.
E quanto mais ela sente, mais se aproxima da mulher, senhora das frases, senhora das rimas, senhora de si...

Lindo texto, Larissa !

Fica bem !

Fabio.

Rafael Cury disse...

Que lindo, Larissa. Adorei! E obrigado pela visita em meu blog.

Ricardo Aiolfi disse...

caramba

perfeito *___* expressivo xD


ótimo modo de esperar o 'crescimento' =]

meus instantes e momentos disse...

ótimo texto, muito bom, parabens, .
É sempre muito legal voltar aqui.
mauriio

Marcus Vinicius disse...

Continue com as frases rimadas, dê sentido a tudo aquilo que desejar. Voe! faça acontecer!

Lindo texto

bjs

Vitor Andrade disse...

e ai ela virou a menina do anel de lua e estrela né?
heheh
texto lindo Lari, como tudo que é escrito, transparecendo a alma!

Ígor Andrade disse...

Agradeço a visita. Volte sempre.
Abraço!

Melqyahd disse...

Oi, Larissa.

Belo texto! Percebe-se que ela pode ter orgulho de suas rimas ;)

Bj.O


Mel

Salve Jorge disse...

Essa menina
Com suas rimas
Mal sabe
O quanto desatina
Que no peito não cabe
Tanta estima
Já que não é a rima
Que legitima
Ao que se destina
Essa menina
Nada boba
E meio loba
De prosa fina
Toda poesia
Que como magia
Quanto mais a lia
Mais sabia
Que era a sina
Dessa menina
Acabar por cima
E como quem mima
Seguir com a rima...

darsh. disse...

acho que minhas rimas serão pra sempre bobas!
hhaha